Quem coloca os políticos onde eles estão?

eto7440-editar-editar

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Você, que anda aí só partilhando textos no Facebook e indignado com os rumos da política brasileira, veja se usa a internet para algo útil e anote como o seu senador votou na PEC 55. Se por acaso não se lembra em quem votou nas últimas eleições, você provavelmente precisa colocar essa lista na sua geladeira ou na carteira para se inspirar da próxima vez que for às urnas.

“São todos ladrões”. Pode até ser. Mas se os ladrões que estão lá continuarem, quem vai se dar mal é você. E eles só ficam se você quiser.

E vigie o seu senador, o seu deputado. Vá aos sites do Senado e do Congresso para saber como ele vota, as presenças.

Na dúvida, escreva para ele. Ok, só uma pessoa enchendo o saco pode não contar, mas se todos os eleitores cobrassem as propostas do seu candidato, talvez não tivéssemos chegado onde estamos. Todos criticam o MBL, mas o grupo soube fazer pressão durante o processo de votação do impeachment da ex-presidenta Dilma Roussef.

Votar pode ser um compromisso que temos a cada quatro anos, mas ser cidadão é algo que somos, ou devíamos ser, todos os dias. Ultimamente temos a impressão que todo o brasileiro nasce com o gene da indignação. Aprendemos com os nossos pais a ler o jornal e reclamar, mas paramos por aí. Como se vivêssemos numa democracia aleatória em que os governantes são escolhidos por um programa de computador e que só nos resta aceitar a sorte e esperar que da próxima vez saia uma combinação mais favorável.

Milhares de pessoas morreram para que hoje tenhamos uma data para realmente dar a nossa opinião, mudar, fazer a diferença. Mas parece que preferimos esquecer o passado e chorar no Facebook. E chorar é mais fácil porque não implica nenhuma ação, apenas deixar as lágrimas caírem no teclado e esperar que sequem até a próxima choradeira.

Ouço frequentemente que a imprensa está aí para fiscalizar os políticos, mas esse papel é, em primeira instância, da justiça e acima de tudo, das pessoas. Aja localmente e influencie globalmente.

Aqui está a lista dos contatos dos senadores em exercício e aqui a lista dos congressistas.

 

Poema decorativo


Michel Temer quando dorme
Põe a mão no coração
Leu na Folha, leu no Estado
Teve nova delação.

Gosta muito de vazar,
Carta, mail, gravação
Era vice, que azar,
Apenas decoração.

Queria economizar
Acabou com ministério
Mas Temer, que azar
Tirou artista do sério

Vice no Planalto
Presidente sem Ibope
Olhando povo do alto
Tá na cara que foi golpe.

Quem escreveu esse textão?


Bob Dylan escreve textão. Renato Russo escrevia textão. Jane Austen escrevia textão. Dostóievski escrevia textão. Eça de Queiroz escrevia textão. Mary Shelley escrevia textão. George R. Martin escreve textão. Camões escrevia textão. Tolkien escrevia textão. Cervantes escrevi textão. Victor Hugo escrevia textão.

Facebook escreve textinho. Telegrama escreve textinho. Twitter escreve textinho. SMS escreve textinho. A imprensa brasileira anda escrevendo textinho.

Já contamos o dinheiro no final do mês, contamos os dias para o final da semana, contamos as horas para o fim do dia. Contamos quase tudo, para quê contar caracteres? 

Tem um monte de gente boa escrevendo por aí. E eles decidiram se juntar num blog dos blogs, onde todo mundo escreve porque gosta. E são tantos blogs que a gente não precisa nem contar, basta ir lá na Central do Textão e ir lendo.

Carta de amor

6473110847_569e5e6bcc_o

Querido blog,
Espero que você esteja bem, gozando de boa saúde. Por aqui tudo bem. Antes de mais nada, gostaria de pedir desculpas por não ter dado notícias durante todo esse tempo. Como você deve saber, a vida não anda nada fácil. Eu tentei me reaproximar de você, ensaiei mil maneiras de começar uma conversa, mas tudo parecia mais difícil quando chegava o momento de escrever.A gente já teve um relacionamento sério, a gente se via todos os dias, você fazia parte da minha vida e eu acho humildemente que eu também fiz parte da sua. Quando nos conhecemos, tivemos dificuldades em transformar aquelas visitas pontuais em algo mais duradouro, mas com o muito esforço acho que construímos algo bonito.

Eu sei que você já passou por muita coisa antes da gente se conhecer e eu me sinto muito culpado por ter lhe abandonado quando você mais precisava de mim. Nesse tempo em que andei afastado, eu ouvi notícias horríveis sobre você: que você estaria morrendo, que tinha os dias contados, que ninguém mais ligava para você. Isso me doeu muito. Mas outras pessoas diziam que não, que você só andava mais afastada, que não frequentava as mesmas pessoas e que os seus bons amigos continuavam lhe vendo discretamente.

Sei que você deve ter ouvido muita coisa sobre mim, muita fofoca, muito boato. Eu quero sinceramente explicar tudo isso para evitar mal entendidos. Tenho conhecimento que falaram para você que eu te troquei pelo Facebook, pelo Instagram, pelo Twitter e, veja você, até pelo Google +. Eu assumo que tive meus momentos loucos, que cheguei a invejar quem usava o MySpace. Mas esse tempo acabou. Eu quero realmente me reaproximar de você de maneira honesta e tentar um recomeço.

Fico aguardando o retorno do correio para saber se você me dá a oportunidade de voltarmos a estar juntos. Prometo que serei muito mais presente e que farei de tudo para que todos falem da gente como um exemplo.

Saudosos cumprimentos,


photo credit: Hello Muddah, Hello Fadduh (A Letter from Camp) via photopin (license)